sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Despedida


“Vou-me embora pra Pasárgada, lá sou amigo do rei/ lá tenho a mulher que eu quero/ na cama que escolherei”, (MB)

Irei para uma ilha, acampar e andar descalça. Subirei ao alto para ver as tempestades, namorar com o faroleiro e abraçar a lua cheia.
Escreverei, então,cartas que envio ao mar em forma de barco, avião ou pássaro.
Voarei, sempre que quiser, nas asas de uma gaivota que terá o nome dos meus amigos e dos meus amores.
O meu corpo saberá a mar e terá o cheiro bom das algas.

Um dia, talvez me nasçam barbatanas e uma cauda feita de escamas. Virei a terra, passados anos, para te ver, dormir na praia e partir pela manhã.


terça-feira, 1 de setembro de 2015

Tempos Modernos





Ontem, perdi centenas de  fotografias, textos, cartas e outros escritos pessoais que nunca divulguei. As nossas pequenas, tão pequenas, desgraças!...








Ao sabor da lua cheia





João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o
convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou-se com J. Pinto
Fernandes
que não tinha entrado na história.


"Quadrilha" de Carlos Drumond de Andrade